Um ano depois...

Jorge Oliveira

2018-10-11

Partilhe:


Passou um ano das últimas eleições autárquicas, que foram sem dúvida alguma um momento que tornou a situação política local diferente para sempre! 
Fazendo uma análise rápida e que pode pecar por redutora atrevo-me a catalogar este primeiro ano como “revolução”! 
A mudança de paradigma para um Executivo que Promete mas também Faz! Que Organiza mas também Participa! Que quer Apoiar mas também Faz Parte!! Que tem um Ideia para Vizela e Corre atrás para que esta seja realidade neste mandato, assumindo compromissos, mas também assumindo riscos. 
Este Executivo passa de mero espetador para um papel ativo na decisão de construir a Vizela de amanhã e isso é inquestionável. 
Num ano, o ritmo de trabalho, de decisões, de participações em nada esmoreceu!  Dizem que se trata de clima de campanha!! Errado! Trata-se de estar presente por Vizela e pelos Vizelenses. De dar a cara. De justificar perante as pessoas que nos elegeram. 
Num ano, existiram decisões difíceis, mas importantes que foram assumidas com toda a carga de responsabilidade que acarretam! No Turismo, a criação da Marca Vizela e a articulação direta com o Turismo Porto e Norte. Na Ação social, a reorganização do serviços sociais e inauguração do edifício social. Na Cultura, a realização da Feira do Bolinhol, do 25 de Abril, da Festa das Tradições, da Feira do Livro, do Festival da Francesinha e da Festa da Juventude. Nas Termas, a assunção de timings, o acompanhamento das obras e reabertura do Balneário Termal em breve. Destaque também para a implementação dos meses temáticos: educação, juventude, social, e mais recentemente a visita a todas as freguesias. Na reabilitação urbana, tomar medidas de responsabilidade para uma Vizela de futuro, assumindo a alteração do PDM e criando novas estratégias como a loja histórica e o prémio requalificação do ano. Na natalidade, o apoio efetivo às famílias pelo nascimento de crianças em Vizela, com o Cheque bebé. No desporto, o apoio na construção dos campos sintéticos que serão uma realidade e a correção de situações pendentes que perduravam há muitos anos, como por exemplo o campo de Montesinhos. Destaque ainda para a delegação de competências nas Juntas de Freguesia que têm tido um papel fundamental no dia-a-dia dos Vizelenses. 
Nunca é de mais abordar determinados assuntos e o Rio Vizela é um deles! Vizela deve crescer de forma concertada com as mais-valias intrínsecas que lhe foram entregues! A riqueza ambiental que possuímos deve ser assumida como uma mais-valia do nosso Concelho na estratégia de Turismo. E isso não foi esquecido no Plano Municipal de Turismo apresentado na semana passada pelo Presidente da Câmara. 
Este caminho que temos percorrido só tem sido possível graças à colaboração efetiva existente com a Coligação “Vizela é para Todos”. Esta colaboração tem-se manifestado tanto no Executivo como na Assembleia Municipal, sob a forma de responsabilidade e persecução de um interesse comum, o interesse dos Vizelenses. Este tem sido o norte para este Executivo e temos a certeza que a mudança será significativa durante este mandato. 
Olhando para um passado ainda recente, quem sentisse o pulsar das gentes deste Concelho, pressentia uma falta de esperança das pessoas em relação ao futuro da sua terra. Sentia-se falta de esperança na capacidade de Vizela se mobilizar e fazer política de forma diferente. Pressentia-se pessimismo e falta de expectativas em relação ao rio, às Termas, ao Turismo e ao futuro do Concelho no geral.