Remate Certeiro 26.10.2017

Manuel Marques

2017-10-26

Partilhe:


O jovem Município de Vizela já tem todos os órgãos autárquicos instalados. É caso para dizer: chega de retórica e mãos à obra.

Câmara Municipal, Assembleia Municipal e assembleias de freguesias estão firmadas após uma das mais acesas e disputadas campanhas eleitorais e onde, negativamente, ficaram patentes diversos cortes de relações, talvez para todo o sempre, entre pessoas que se julgavam amigas eternas. É triste!
Costuma-se dizer que perder ou ganhar é tudo desporto mas nem todos pensam assim. Há sempre quem se deslumbre empiricamente com as vitórias e os que se sentem despeitados com as derrotas. Num e noutro caso é o absurdo porque uma vitória e uma derrota nunca são lineares. Elas obedecem a múltiplas partículas a grande parte invisível.

No miradouro de S. Bento das Peras um graffista anónimo desenhou a frase. “A única luta que se perde é a que se abandona”. E este é o pensamento que a todos deve nortear: lutar todos os dias para que Vizela regresse ao áureo passado que já viveu.

Temos lido e ouvido da boca dos companheiros e treinadores de Cristiano Ronaldo que o penta melhor jogador do mundo é um lutador diário. Nunca desiste, entrega-se com afinco ao trabalho e não se deslumbra com os prémios. O quinto reconhecimento mundial que lhe foi entregue esta segunda-feira diz que ele está certo. Parabéns.

No decurso da campanha eleitoral, o novo presidente municipal vizelense, anunciou grandes investimentos ao nível do desporto concelhio, ideias essas reforçadas na entrevista concedida no sábado a Fátima Anjos na nossa Rádio Vizela.

Victor Hugo Salgado tem pela frente este campeonato de dotar, como prometeu, alguns clubes com relvados sintéticos acessíveis a várias modalidades, edificar uma cidade desportiva junto à marginal ribeirinha, uma piscina incentivadora à prática da natação, criar espaços para outras modalidades como o basquetebol, o andebol, etc. e, ainda visionar a construção de um pavilhão municipal como este novel concelho merece e carece.
Todos diremos que será sonhar alto de mais - num município onde se contam tostões e que tem por despesa maior os salários de mais de 350 trabalhadores -, mas voltando à frase do miradouro: “a única luta que se perde é a que se abandona”. 

E nesta luta será um erro tremendo dispensar-se os vencidos que se mostram dispostos a ajudar a reconstruir Vizela. 
Vencedores e vencidos todos são vizelenses úteis e com capacidades para engrandecer o futuro sabendo-se que, como em qualquer prova desportiva por etapas, ninguém perde sempre e ninguém sempre vence. Em frente Vizela.