Remate Certeiro 21.06.2018

Hélder Freitas

2018-06-21

Partilhe:


E porque o nível mais amador do futebol também merece o devido destaque, quero aproveitar o espaço para falar do futebol popular.
O encerramento da temporada 2017/2018 da Associação de Futebol Popular de Guimarães premiou mais uma vez as equipas de Vizela. A mesma associação é composta por 17 clubes sendo que dois deles são de Felgueiras (Penacova e o Pombeiro) e três de Vizela (Infias, Montesinhos e Tagilde) que marcam presença de longa data, sendo o Infias a mais antiga.

No encerramento da época, o Tagilde para além do vice-campeonato venceu também o Trofeu Disciplina, o que, convenhamos, não é nada fácil para uma equipa que lutava pelo título, que tinha de ser agressiva, terminar a temporada com este título, é de facto de se lhes tirar o chapéu.
E o que dizer da prestação do Montesinhos esta temporada? Soberba, ímpar e quase perfeita! Aliás, perfeita mesmo, se levarmos em consideração que no início da época o objetivo da equipa passava quase em exclusivo pelo campeonato. Só que ao campeonato a equipa juntou mais três troféus coletivos (só falhou mesmo a conquista da Taça Cidade Berço), para além dos três individuais (Rui Sá foi o melhor marcador; Óscar Silva foi o melhor jogador e Tozé Fernandes foi o melhor treinador), daí não ser descabido dizer-se que a época 17/18 da equipa da encosta do Monte de S. Bento foi perfeita, a todos os títulos notável.
É mais do que certo que todos estes títulos deixam mais responsabilidade para a próxima temporada, mas deve ser algo com que todos querem conviver, pois é bem melhor do que o contrário, passar uma época sem ganhar nada e entrar numa nova temporada a olhar para uma equipa que fica na história do Futebol Popular de Guimarães. 
Tagilde e Montesinhos têm dividido os títulos nos últimos anos num poderio notório das equipas de Vizela que têm chamado a si a maioria dos títulos no passado recente. Ao Infias não têm surgido estes títulos porque, para além das indefinições na constituição de equipas diretivas que “possam levar o barco” para a frente, contra o Infias jogo o facto importantíssimo da equipa ter tido durante muitos anos um campo sem condições e estar, neste momento, num campo emprestado, sempre de casa às costas, com todas os prejuízos e adversidades que tudo isso cria. O Infias luta com armas desiguais e manter-se na primeira divisão deste futebol é por si só um título. Era bom para esta hegemonia das equipas de Vizela que o Infias se pudesse imiscuir na luta mas enquanto as premissas anteriores se mantiverem vai ser difícil.

Para concluir, referir que contrariamente ao que se possa pensar estas vitórias das equipas de Vizela não motivam guerrilhas nem me parece de todo que a associação veja este domínio com maus olhos, pelo contrário. Arlindo Costa, presidente da AFP Guimarães, foi entrevistado pela Rádio Vizela e mostrou-se sinceramente contente pelas conquistas das equipas de Vizela e, acima de tudo, motivado para continuar à frente dos destinos de uma associação que, apesar das críticas, tem sabido manter a competição em bons moldes e projetado os clubes que a compõem. Para manter portanto. Ficam os parabéns sinceros à associação, mas sobretudo aos “papa-títulos”, o mesmo é dizer à equipa do Montesinhos orientada por Tozé Fernandes.