Remate Certeiro 14.02.2019

Manuel Marques

2019-02-14

Partilhe:


No domingo o futebol proporcionou, a mim e a cerca de uma dezena de vizelenses, um dia bonito em Ponte de Lima que só não foi excelente porque o FC Vizela empatou e não devia. 
Somos daqueles que entendem, sem lirismos, que o futebol e o desporto em geral é mais uma oportunidade para cimentar amizades nas terras que visitamos e receber bem quem nos visita, do que essa vaga de violência, de comentadores do dia seguinte aos jogos que debitam atoardas sem nexo depois de verem mil imagens do mesmo lance, e de outros quejandos que confundem desporto com morto, torto ou porco. 
O saboroso arroz de sarrabulho com rojões (prato típico local), no Porta do Lima, restaurante do hospitaleiro Sr. Domingos, a quem o futebol proporcionou amigos em Vizela ao ponto de ser habitual este limiano vir pelos seus próprios meios assistir a vários jogos à nossa bonita terra, antecedeu um jogo que foi tão tranquilo fora do campo como no exíguo relvado sintético. 
E estávamos prontos a entrar nos automóveis para o regresso quando vimos um braço a acenar chamando por nós. Era o Sr. Domingos exigindo que naquele domingo fossemos lanchar a sua casa onde já se encontravam outros vizelenses de cachecol ao pescoço (no Restaurante também há um cachecol do FCV pendurado). Para aumentar à festança surgiram outros animados limianos entre eles o professor Feliz Martins que leccionou trabalhos manuais no Ciclo de Vizela entre 1975-1978.
Este exemplo de amizade e festa à volta do futebol é igual a tantos outros que ocorrem em terras que visitamos no acompanhamento do nosso Clube. O ano passado em Mondim aconteceu um caso curioso: Estávamos a almoçar com o senhor Fonseca madeireiro, que sempre almoça connosco por terras de Basto e só no decorrer da conversa soubemos que ele era o pai do treinador do Mondinense. Foi engraçado. 
Saber estar no futebol é muito bonito. Foi isso que levou a GNR ontem (dia 13) no Estoril com a colaboração do Instituto Português do Desporto e Juventude a promover uma ação de sensibilização sobre o tema da Violência no Desporto. 
Nas últimas épocas desportivas, a GNR registou diversos incidentes entre os quais se destacam as agressões, as injúrias, os danos, o arremesso de objetos, a utilização ilegal de artigos pirotécnicos e o rebentamento de petardos.
O desporto não deve ser isto mas sim o convívio que desfrutamos e partilhamos. Viu-se que a bancada do Limianos não tinha jovens nem crianças a assistir à partida. Na maioria dos campos que visitamos é igual. Uma tristeza. O futebol está exclusivamente na terceira idade. Onde não há outra para a frente. 


Chamem a GNR.