Remate Certeiro 09.01.2020

Zélia Fernandes

2020-01-09

Partilhe:


1-Ano Novo, vida nova diz o ditado popular, no entanto no que à grande maioria do desporto diz respeito este é apenas o início da segunda parte da denominada temporada 2019/20. As equipas voltaram ao trabalho e aos jogos e o ano começou bem para uns, nem por isso para outros, enquanto que para outros ainda houve a continuação do que tinham vindo a fazer no ano anterior. Desde logo, Ricardo Soares a não começar bem a sua prestação ao comando técnico do Moreirense, com derrota em Paços de Ferreira e, para além disso, uma fraca prestação ao nível da exibição. Ficou claramente a ideia de que esta equipa terá que fazer mais e melhor para não passar por dissabores nas últimas jornadas. O FC Vizela perdeu dois pontos, na deslocação ao Merelinense, apesar disso fica a consolação da grande exibição dos vizelenses, que só não foi maior, porque os golos não aconteceram e não conseguiram sair de Merelim vitoriosos. Apesar deste percalço, a prestação desta temporada dos vizelenses continua segura, tranquila e a permitir a liderança. No que ao inicio do ano diz respeito, merece destaque o S. Paio SC, saudando-se finalmente o regresso às vitórias. Quatro meses e 13 jornadas depois o grupo saboreou finalmente o doce sabor da vitória, podendo ser este o impulso que faltava para encetar a recuperação na tabela e deixar a linha de água. Que 2020 seja positivo para todas as equipas que acompanhamos, que possam dentro das possibilidades cumprir os objetivos.  Em relação a outras modalidades, cujo início da época coincide com o início de mais um ano civil, como os desportos de combate, o desporto motorizado e o minigolfe entre outros, os votos é para que tenham uma grande temporada, com o alcance das metas definidas.
2- Na última segunda-feira tive o privilégio de entrevistar duas atletas que vi dar os primeiros passos no atletismo, que vi crescer e tornarem-se em grandes atletas de alta competição de nível internacional. Falo da vizelense Salomé Rocha e da lousadense Catarina Ribeiro, que consideramos sempre, como se fosse de Vizela, talvez porque esteve oito anos ao serviço do FC Vizela e continua a treinar até aos dias de hoje em Vizela, sob as ordens do treinador vizelense Rui Ferreira. Ao longo destes anos fui noticiando os títulos, os primeiros ainda conquistados quando eram atletas Juvenis, mas despois a continuidade desses mesmos títulos quando passaram a atletas Seniores, ao serviço de grandes clubes, como o Sporting ou o Benfica. Atletas polivalentes, com títulos e troféus nas provas de crosse, de pista, de estrada e nas várias vertentes, inicialmente nas provas de meio fundo e agora dedicadas as provas de fundo. Para além do seu percurso desportivo e pelas entrevistas que lhes fui fazendo ao longo dos anos, pude também perceber que a formação como seres humanos, como mulheres, também é digna de subir ao mais alto lugar do pódio. São melhores, entre as melhores, mas a humildade é a mesma de sempre, nunca se esquivando aos convites para entrevistas ou iniciativas em prol de Vizela. Gosto especialmente da relação que mantém com o seu treinador Rui Ferreira, mostrando-se sempre gratas pelos ensinamentos e orientações que recebem, elas próprias refletem também muito do que é o seu técnico. Também gosto da amizade que mantêm com os seus colegas de treino, no FC Vizela, com o apoio que lhes conferem nas provas, como ainda se viu no passado sábado, no Corta Mato Regional Curto, realizado em Vizela, sendo modelo a seguir por todos.  Espero que, efetivamente, corram juntas a Maratona dos Jogos Olímpicos de Tóquio, pois é algo que, merecem.