Remate Certeiro 06.12.2018

Hélder Freitas

2018-12-06

Partilhe:


1-Rui Ferreira falou à Rádio Vizela sobre a possibilidade de Vizela poder vir a ter uma pista de atletismo. 

Referiu-o na medida em que presentemente é Vice-Presidente da Associação de Atletismo de Braga e consciente da limitação vizelense nesse sentido, deitou pés ao caminho para tentar perceber da possibilidade de, no local onde se encontra actualmente o Campo Municipal de Santo Adrião, fazer nascer um complexo que visasse numa primeira instância uma pista de atletismo e mais adiante outro tipo de estruturas, até mesmo para albergar outro tipo de desportos. 
E atenção, o projecto não é megalómano e tem toda a razão de ser. 

O atletismo foi, e as indicações que existem são no sentido de que continuará a ser, a primeira fábrica de campeões vizelenses. Há muito que esta reivindicação existe porque quem faz do Parque das Termas o seu local de treino, comparativamente com os seus adversários que dispões de condições dignas e com o mínimo de segurança almeja poder vir a ter um espaço agradável para a prática e acima de tudo com as condições de segurança que lhe são exigidas. O Parque é muito bonito é uma verdade insofismável, mas não é, pouco mais ou menos, um espaço condigno para se treinar para a modalidade. 
Diria até que, à partida, estariam reunidas as condições para que de facto o dito projecto pudesse ser viável. Desde logo porque pela primeira vez um vizelense ocupa um lugar de topo na Associação Regional (é também parte integrante do corpo técnico da Federação Nacional) e porque (ainda mais importante) com a aposta que este executivo tem feito no desporto e pela razoabilidade e bom senso que já mostrou ter, parecem-me que tais condições possam efectivamente estar reunidas para que tal possa ser uma realidade.

O problema será como sempre a disponibilidade financeira, mas mesmo nessa questão Rui Ferreira frisou que não é uma obrigação fazer tudo de uma vez e que no imediato o mais importante era ter o local para corrida, sem buracos, sem raízes de árvores, sem gente a passar…

Quando questionei Rui Ferreira para o facto de eles conseguirem fabricar campeões com condições rudimentares e arcaicas e se isso não jogava contra eles, ele ripostou deixando uma retórica no ar: “Se conseguimos o que já conseguimos com essas condições, então o que é que poderíamos conseguir com condições ideais de treino?

Fica a pergunta que deve por toda a gente que tem responsabilidades na matéria a pensar.