Remate Certeiro 05.07.2018

Manuel Marques

2018-07-05

Partilhe:


As últimas eleições autárquicas deixaram marcas fraturantes no relacionamento de diversas pessoas e, por tabela, em algumas associações do nosso concelho. Presume-se que o seu resultado levou a extremos maiores, irreversíveis e profundamente lamentáveis. Deus é que sabe. 
Custa perceber como há pessoas a quem tudo serve, seja a política, o futebol ou outras bazófias, para criarem divisões, somarem questiúnculas mesquinhas e levantar muros em lugar de construírem pontes. Um amigo pode durar anos a fazer-se e, depois, por dá cá aquela palha (eleitoral), deita-se fora esse precioso valor. É triste.
Entrar numa competição exige saber respeitar os adversários, sejam eles quais forem, exige postura e acima de tudo desportivismo pois nem todos irão vencer.
Carlos Queiroz, treinador com largos pergaminhos no futebol português, fez-me lembrar alguns candidatos autárquicos face à sua postura no banco de suplentes do Irão quando esta seleção defrontou aquela que já foi a sua e, presumo, continua a ser a do seu coração, enquanto que a atual é apenas a do dinheiro.
Com os olhos do mundo, mas sobretudo de milhões de portugueses postos em si, aquele que já foi o melhor formador de futebolistas em Portugal, e com Comenda nacional, devia ter sido sensato, cordato e um pouco nacionalista. Não o foi, da mesma forma que alguns candidatos às últimas eleições não souberam sê-lo porque estiveram apenas focados de forma desenfreada no resultado que lhes convinha, esquecendo tudo o resto. Só teriam a ganhar (e a terra também) se apostassem no retorno dos valores humanos que perderam. Se forem a tempo. Perdoar alivia a alma.
Mas há quem saiba perder: a SAD do FC Vizela perdeu imenso com a temporada passada e já meteu pés a caminho na construção duma equipa teoricamente mais forte, conforme foi apresentado na segunda-feira por Diogo Godinho. A par disso, colocou dois relvados sintéticos, um de relva natural (para treinos) e iluminação artificial capaz. Caíram do céu. Hoje um clube sem investidores o que é?
Em boa hora a SECA chegou para acabar com a seca financeira e infraestrutural do Vizelinha.
As pessoas sensatas reconhecem a SAD como fundamental na maior viragem para melhor do Vizela nas últimas décadas; as outras menosprezam-na e trocavam-na pelo resultado de um jogo. 
Fazem lembrar alguns candidatos autárquicos.