Remate Certeiro 03/08/17

Hélder Freitas

2017-08-03

Partilhe:


Neste curto período de tempo que estive sem escrevinhar neste mesmo espaço, muitos acontecimentos foram notícia no mundo desportivo pelo que vou deixar apenas os mais e os menos, da minha visão muito pessoal e individual do que foi o fenómeno desportivo. Sinal menos desde logo para o dito sorteio que emparelhou os jogos e o calendário da Liga Nos, que foi tudo menos um sorteio. Por sorteio entender-se-á sempre o que sai em sorte e não aquilo que a Liga (organização que tutela) acha que deve ser. Com tantas condicionantes à partida, dos grandes não se poderem defrontar entre si nas primeiras jornadas ou não poderem jogar em casa na mesma jornada, enfim, não lembra a ninguém...mas os pequeninos, sem poder algum, anuem com a cabeça o que é uma pena... É que se a competitividade em Portugal já fica limitada a 3 clubes, mais agudizada e crivada fica com estas tomadas de decisões. Parece haver um status quo de “defesa” dos grandes, dos ricos, dos que têm orçamentos tão superiores aos restantes competidores, quando não havia necessidade. Poderiam nivelar-se as forças de outra forma que não no “colinho e aconchego” constante que se dá aos denominados grandes do futebol português. É que não bastava terem criado uma Taça para um deles poder ganhar, agora até o sorteio do campeonato já é para os destacar logo à partida. Esta é a verdadeira maçã podre do futebol português, o protecionismo exacerbado a quem tem poder. Assim Não!
Sinal menos para a novela “Neymar” quando tudo indica que de facto o “astro” brasileiro pode estar de armas e bagagens para a cidade luz. É uma verba absolutamente insana aquela que o PSG terá de pagar ao Barcelona se o avançado mudar mesmo de ares. Começa a entrar-se no patamar da loucura (uma soma suicida) se pensarmos que só 30 países em todo o mundo têm o Produto Interno Bruto superior ao valor pelo qual se poderá fazer a transação de Neymar. É que não se trata só do valor da cláusula de rescisão. Há que somar os quase 75 milhões de euros em impostos pelo qual será taxada a cláusula. Ponto um, jogador nenhum no planeta vale isso, ponto dois é um passo sem retorno para o abismo monetário do fenómeno futebol. Assim Não!
Sinal francamente mais para o jogo de apresentação do FC Vizela que terá a totalidade da sua receita doada aos BVV. Não é uma parte, nem é uma fração, tão pouco uma percentagem, é a Totalidade da receita apurada, para os BVV. Que à imagem e semelhança de tantas outras corporações por esse país fora merecem por inteiro esta iniciativa como mereceriam até muito mais. É uma gota no oceano, mas é um sinal a todos os títulos positivo dado por um clube que nem sequer é rico financeiramente. É-o pelo menos nas ações e esta, por exemplo, deixa o Vizela muitíssimo bem visto. Parabéns a todos aqueles que de uma forma ou de outra, ajudaram a fomentar este tipo de iniciativa. Assim Sim!
Na mesma razão e ordem de ideias, a Supertaça Cândido de Oliveira terá no decorrer do jogo e em diversos aspetos do mesmo, uma série de “receitas” que revertem a favor dos Bombeiros. O número de golos, de remates, de cantos e de cruzamentos terá relação direta com o que se vai conseguir agregar para os Bombeiros. É o mundo do futebol a gerar receita para quem faz por merecer. Assim SIM!