Razões de uma candidatura à Assembleia Municipal de Vizela pelo PS

Carlos Alberto Costa

2017-08-03

Partilhe:


Muitos vizelenses surpreenderam-se com a minha candidatura à presidência da Assembleia Municipal de Vizela pelo Partido Socialista.
Na verdade, até eu fiquei surpreendido com o honroso convite que recebi do candidato à Presidência da Câmara Municipal pelo Partido Socialista, Sr. João Ilídio Costa.
Não foi a primeira vez que fui desafiado a integrar as listas do Partido Socialista. 
Mas, se noutras alturas, as coisas não se conjugaram favoravelmente, desta vez, não soube como resistir ao convite do Sr. João Ilídio Costa.
Fora da política partidária ativa há mais de 12 anos, nem assim deixei de exercer uma cidadania militante e, por isso, fiz críticas à direita e à esquerda mas sempre a pensar numa Vizela melhor, numa Vizela com mais qualidade de vida para todos os vizelenses, com mais progresso e com mais desenvolvimento.
Obviamente, que estaria muito mais confortável sem me envolver e ficar num papel de mero observador.
Mas, quando nos chamam para fazer parte dum projeto de desenvolvimento e crescimento duma cidade e dum concelho que gostamos e que ainda não foi capaz de se afirmar tanto quanto queríamos, não podemos ficar indiferentes.
João Ilídio Costa é um homem sério, rigoroso, competente e bem preparado. Apresenta-se com ideias novas e arrojadas para um tempo que está em mudança contínua e rápida. Não é um homem do sistema e, por isso, dá todas as garantias de poder ser um grande Presidente de Câmara para Vizela.
Dos governantes aos adversários políticos, todos lhe reconhecem mérito pela obra realizada.
Jorge Gomes, Secretário de Estado da Administração Interna, quando há um ano visitou o quartel dos Bombeiros Voluntários de Vizela, disse aos microfones da Rádio Vizela: “Vou impressionado pela positiva porque não conheço muitas infraestruturas dos Bombeiros Voluntários com esta dimensão e com esta qualidade e, sobretudo, com o rigor que se nota que existe aqui na gestão”.
Jorge Pedrosa, candidato da Coligação, opinou recentemente no RVJornal que “Ninguém pode por em dúvida o trabalho de excelência que João Ilídio Costa levou a cabo na Associação. Por tudo aquilo que fez, os Vizelenses devem-lhe respeito e gratidão, pois podemos orgulhar-nos de termos na nossa Terra uma das mais prestigiadas Associações de Bombeiros Voluntários”.
Victor Hugo Salgado, candidato dos Independentes, em recente conferência de imprensa referiu relativamente a João Ilídio Costa, “que se trata de uma pessoa que muita preza”. 
Foi precisamente por acreditar neste homem e no seu projeto para Vizela, que aceitei o convite e me sinto muito honrado, mais ainda, confiante, por ser candidato à Assembleia Municipal de Vizela ao lado de João Ilídio Costa, futuro Presidente da Câmara Municipal de Vizela. Mas também quero dizer, que me sinto, igualmente, muito honrado com a indigitação para encabeçar a lista de candidatos à Assembleia Municipal proposta pelo Partido Socialista a quem agradeço a confiança manifestada. Aceito-a de alma aberta e com forte empenho. Todos sabemos que o Partido Socialista de Vizela não viveu nestes últimos tempos os seus melhores dias.
Hoje, todos sabemos que quem protagonizou uma divisão no partido foi alguém que disse ser sempre leal a Dinis Costa, que votou sempre com o Sr. Dinis Costa, que aprovou todas as propostas, que aprovou todos os orçamentos, que aprovou todas as contas, que aprovou todos os subsídios (cfr. conferência de imprensa de Victor Hugo Salgado, em 10.05.2016).
Como se pode compreender, então, que alguém que aprovou tudo durante seis anos e meio, venha um ano depois (cfr. entrevista de Victor Hugo Salgado ao JN de 21 de junho de 2017) dizer “Entendo que, ao longo dos anos, ficou demonstrado que Dinis Costa não tinha uma estratégia para o desenvolvimento de Vizela, razão pela qual discordei de algumas decisões” e “ Para mim, Vizela está acima de qualquer partido ou interesse pessoal, motivo pelo qual não poderia ficar impávido e sereno a assistir à destruição do meu concelho”? 
Hoje, todos sabemos que a cisão interna do PS só aconteceu porque Victor Hugo Salgado queria ser o sucessor de Dinis Costa no PS, à boa maneira das monarquias hereditárias. Não lhe tivessem Dinis Costa e a Comissão Política fechado a porta e, Victor Hugo Salgado, ainda hoje estaria a jurar lealdade política a Dinis Costa. Felicito, por isso, o Sr. Presidente da Concelhia do Partido Socialista e a Comissão Política, porque escolheram um grande Homem para liderar a candidatura socialista à Câmara Municipal de Vizela. O gesto de escolher um Homem que em tempos o criticou até com alguma contundência, é de uma grande nobreza, só ao alcance de um grande político como é Dinis Costa. Vejo na candidatura de João Ilídio Costa pelo PS – Juntos, Vizela Vencerá - pessoas de grande valor, do melhor que Vizela tem. Pessoas que nunca deram a cara em eleições, mas que acreditam nesta candidatura, que acreditam neste projeto, que querem ver Vizela a crescer, que querem ver Vizela a desenvolver-se, que querem ver Vizela a distinguir-se como uma das terras mais bonitas deste lindo País, que querem ver Vizela a regressar aos seus tempos áureos de Rainha das Termas de Portugal, honrando a coragem e a luta pertinaz daqueles que nunca desistiram de ver restaurada a autonomia de Vizela, consubstanciadas na pessoa do Sr. Manuel Campelos, que está com esta candidatura, e a quem daqui saúdo e desejo as rápidas melhoras. Pode, portanto o Partido Socialista orgulhar-se desta candidatura. Podem os atuais detratores do Partido Socialista de Vizela ficar descansados e parar de chorar lágrimas de crocodilo. Um partido que consegue reunir numa candidatura pessoas com este valor não está moribundo, está bem vivo e recomenda-se. 
Estou nesta candidatura para dignificar a Assembleia Municipal e elevar o nome de Vizela.
Comigo a Presidente, os vizelenses estão primeiro e, por isso, serão os primeiros, e não os últimos, a falar nas Assembleias Municipais, no período destinado ao público.