Porque quem dança é mais feliz

Neusa Faria

2018-05-03

Partilhe:


O Dia Mundial da Dança celebrou-se no dia 29 de Abril, instituído pelo CID (Comité Internacional da Dança) da UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura) no ano de 1982.
Embora a organização formal em torno da dança enquanto património imaterial de todos, nestes órgãos tenha a sua instauração e reconhecimento formal apenas a partir dos anos 80, as expressões da dança têm origem na antiguidade, ainda na pré historia, através de várias culturas estilísticas caraterizada maioritariamente como forma de manifestação, divertimento ou cerimónia. 
Com o passar do tempo e influência de várias transformações na Sociedade, a forma de manifestação da dança foi-se modificando e ganha um esqueleto com várias modalidades e estilos, com diferentes objetivos às quais atualmente conhecemos no nosso quotidiano e nos são familiares. 

Mas então, caros leitores, o que é a dança e o que significa?
Como eterna apaixonada da dança, considero que a dança é uma das formas de expressão mais antigas utilizadas pelo Homem onde através da ligação de movimentos e ritmos do nosso corpo conseguimos manifestar um estado sobre aquilo que pensamos, sentimos e desejamos. Para além de ser, sem dúvida, uma forma de divertimento e lazer, vou além e acrescento que a considero como uma das ferramentas mais belas, físicas, expressivas e artísticas que para além de criar laços entre as pessoas, permite estimular e desenvolver a cognição do Ser Humano através de uma forma dinâmica, lúdica e criativa. 
A minha relação com a dança vem desde criança e trouxe-me vários benefícios, desde físicos, estéticos, emocionais, psicológicos até aos benefícios relacionais e sociais. A minha experiência, fez-me sobretudo crescer enquanto pessoa, tornando-me mais flexível, disponível e feliz, tanto fisicamente como emocionalmente. Sendo que o mais importante de tudo, não está no ato de dançar mas no sentimento que dele advém e nas ligações que nos possibilita criar entre as pessoas. É uma excelente ferramenta de integração, recuperação e conhecimento sobre nós próprios e o outro. O meu contributo na dança, com as formações que tenho vindo a realizar, vão no sentido de proporcionar às pessoas momentos de felicidade, distração e total liberdade de expressão através do conhecimento das capacidades individuais de cada um.
Com a dança, quer de uma forma artística ou de índole mais fitness como o Zumba, acredito que cada um de nós pode renascer com ela, sendo que na base estará sempre o facto de puder ser partilhada com alguém. E por isso, #quemdançaémaisfeliz. 
Por esse motivo, deixo aqui o meu agradecimento, a todas as pessoas que passaram por mim e pelo meu trabalho, em especial às minhas alunas do zumba, da Casa do Povo e do Atualfit, porque é graças a elas que consigo a cada dia tornar-me melhor.