PODE SER NATAL TODOS OS DIAS NO DESPORTO

Manuel Marques

2018-12-13

Partilhe:


Atendi o telefone na Rádio Vizela e do outro lado da linha estava o pai de um jogador que me disse esbaforido:
- Então a equipa do meu filho ganhou ontem por 38-0 e vocês não disseram nada na Rádio.
- Trinta e oito a zero! Em basquetebol? - Perguntei.
- Não senhor. Qual basquetebol qual carapuça? Foi em futebol.
- Em futebol? 38-0? Em que escalão joga o seu filho?
- Joga na equipa dos Bambis, dos cinco anos de idade, porquê?
- Por nada. Com um resultado desses o treinador devia ser despedido.
- Pois. O treinador dos gajos não se deve safar. Com uma cabazada destas deve ir mesmo de vela...
- Mas eu refiro-me ao treinador do seu filho. Esse é que deve ser despedido...
- Despedido porquê. Então ganhou por 38-0 e ainda falhamos “praí” uns 20 golos e você diz que ele deve ir embora. É burro ou faz-se?
- Não sou burro mas acho que esses resultados da formação devem ser cuidados. Sobretudo de crianças da idade do seu filho, podem ser traumatizantes para quem ganha, porque pensa que tudo será fácil e para quem perde porque pensa que a vida é só derrotas. O importante é formar bons homens e bons jogadores...e nós da comunicação social temos de ser cuidadosos. Isso para mim não é notícia.
O homem interrompeu-me mais zangado para dizer:
- Futebol é futebol. Quantos mais golos melhor. Quem não quiser que não vá para lá...
Desisti de continuar o diálogo pois as opiniões são como os pregos: quanto mais se batem mais se cravam.
Por estes dias fui obrigado a ver um pouco de um jogo de infantis e à minha frente estava o pai de um jogador a mandar o filho “rachar” o adversário e gritava mais alto que o treinador a dar instruções da bancada. A criança andava desorientada não sabendo a quem devia obedecer.
No meu tempo da bola eu gostava que o jogo fosse eterno porque tinha muita vontade de jogar como todas as crianças. O pai daquele franzino atleta gritava para o árbitro acabar a partida “Está na hora, está na hora”... Porque o resultado estava a seu favor. Sai melga!
Li há pouco tempo que o Estoril deixou de publicar e publicitar resultados das equipas mais jovens explicando o responsável Hugo Leal que” Se começarmos a habituar as pessoas que, nestas idades, o resultado é secundário e que o principal é o processo, vamos ter melhores atletas.” Apoiado. Será que alguma vez os pais dos putos vão perceber isto?
E que pensam eles (e outros) da Liga Portuguesa de futebol ser a que tem em média menos tempo útil de jogo entre 37 competições europeias, segundo revelou um relatório emitido pelo Observatório Internacional da modalidade (CIES) dando conta que em 90 minutos de jogo em Portugal joga-se apenas 45 e o resto é para matar tempo?
Por último: No domingo, no final do Felgueiras-Vizela que ditou aquela saborosa vitória da nossa equipa, eu e os meus inseparáveis amigos de acompanhamento do nosso FC Vizela, Eduardo Guimarães, José Borges, César Dias e Victor Costa convivíamos no restaurante S. José, com gente de Felgueiras, pessoas simples e humildes enquanto lá fora, soubemos mais tarde, a GNR andava à bastonada a adeptos que lançavam pedras.

Será assim tão difícil fazer-se do futebol e do desporto em geral Natal todos os dias? Bom Natal para si.