Há sempre tempo para mudar

Fátima Anjos

2017-04-06

Partilhe:


Esta semana o RVJornal faz manchete com a intervenção que a Câmara Municipal terá projetada para a zona envolvente ao Fórum Vizela, com declarações da vice-presidente da autarquia, Dora Gaspar, e que dão ainda conta da realização de um estudo que terá em vista avaliar a pertinência de uma alteração ao trânsito na Rua Nova do Fórum possibilitando que os automóveis possam circular nos dois sentidos. 

Ainda a via paralela à Estrada Nacional 106 não havia sido aberta ao trânsito e já havia quem nos interpelasse sobre uma eventual alteração no sentido do trânsito junto ao Fórum Vizela. No meu entender, ao nível da circulação automóvel, Vizela sofre hoje de um problema. Todo o tráfego automóvel vai desembocar no mesmo local, a rotunda dos Bombeiros Voluntários, o que origina o constante congestionamento do trânsito nos horários de ponta. 

Não há alternativas. É verdade que a Circular Urbana veio fazer com que Vizela deixasse de ser a cidade de risca ao meio, mas também o facto da Rua Dr. Abílio Torres se ter transformado numa via de um só sentido não deixou margem para muitas alternativas de circulação. Para quem não conhece Vizela, acaba por ser dificil circular no centro da cidade…

Daí que proporcionar a possibilidade de utilização de uma via que foi executada precisamente para ser uma alternativa e permitir que a mesma possa fazer fluir o trânsito diretamente para quem pretenda chegar ao outro lado da cidade ou até mesmo dirigir-se para Santo Adrião, S. Paio ou Tagilde poderá constituir uma mais valia importante, principalmente, se estivermos a falar de automóveis pesados, que sentem já hoje dificuldades em contornar o empreendimento Fórum Vizela, principalmente, na curva localizada junto ao caminho pedonal que dá acesso à Rua Pereira Caldas (a Rua da Rainha).
 
Até mesmo a Rua Dr. Abílio Torres deveria suscitar nesta altura uma reflexão, ou como os políticos gostam de dizer, um estudo, sobre as vantagens que a transformação daquela via num só sentido trouxeram para a cidade. Recordo-me que a medida foi tomada com o objetivo de revitalizar o centro da cidade e apoiar o comércio local, possibilitando a criação de lugares de estacionamento. Infelizmente, não é na rua principal de Vizela que o comércio mais tem proliferado, pelo contrário, são muitas as portas que encontramos fechadas. 

Todos sabíamos que para voltar a fazer bater o coração da cidade não seria suficiente fazer os automóveis circularem apenas num só sentido, teriamos de ir mais longe... e ainda podemos. 

Haja vontade e trabalho.