Formação Inicial de Bombeiro

Bombeiros Voluntários de Vizela

2018-03-08

Partilhe:


A maioria das pessoas não imagina a formação que cada elemento proposto a Bombeiro Voluntário necessita de realizar antes de iniciar a atividade como bombeiros voluntário. Numa altura em que 22 elementos terminam a formação inicial de bombeiro, sujeitando-se este fim-de-semana uma das provas finais de avaliação, e quase outros tantos elementos se inscreveram e se preparam para iniciar esse percurso, fazemos referência à Formação Inicial do Bombeiro.
A sociedade de hoje não se propõe a ingressar no corpo de bombeiros, compactua com a falta de profissionalismo, a falta de saber ou a negligência e, apesar de sermos voluntários, longe vai o tempo em que bastava querer para se ser bombeiro. Hoje, nos Bombeiros de Vizela, cada elemento terá que passar por provas físicas e avaliação psicológica de admissão. Após ultrapassar este processo, inicia-se uma fase de adaptação e formação teórica. Em termos teóricos os candidatos a bombeiro têm formação em diversas temáticas. Das mais gerais como organização do corpo de bombeiros, relações interpessoais, construção civil, eletricidade, hidráulica e preparação física, às mais particulares como fenomenologia da combustão, matérias perigosas, agentes extintores, comunicações, ordem unida, equipamentos e veículos. No tema dos incêndios florestais são abordados as técnicas de combate, as condições influenciadoras do incêndio e cartografia. Nos incêndios urbanos e industriais é abordada a ventilação tática, busca e salvamento, sistemas de proteção e procedimentos de segurança. Toda esta formação é interna, sendo ministrada por elementos do corpo de bombeiros. As técnicas de emergências médicas, emergências de trauma, salvamento e desencarceramento são ministradas por formadores designados pela Escola Nacional de Bombeiros (os bombeiros de Vizela possuem formadores nessas duas áreas). Aliado a esta formação teórica existe uma vertente prática. O tempo mínimo de formação compreende o mínimo de 6 meses a um máximo de 2 anos, com um mínimo de 250 horas de formação teórica e mais de 250 horas de práticas. Aliado à formação está o equipamento necessário durante esse período que ascende aos 1000€/por formando. Após aprovação das provas, cada elemento é sujeito a um estágio obrigatório com duração mínima de 3 meses (90 dias). A nota final e consequente classificação compreende todo o comportamento do elemento, desde o dia de ingresso até final do período probatório. Um fator importante é o crescimento enquanto pessoa e a evolução nas práticas e técnicas da atividade do bombeiro. Os valores fundamentais do ser-humano têm que acompanhar todo o processo, o candidato a bombeiro é avaliado no saber-ser, no saber-estar e no saber-fazer.
Para se ser Bombeiro não basta querer, é preciso demonstrar a sua capacidade. Poderemos ser voluntários por opção, mas cada vez mais temos de ser profissionais na ação.
Atividade Operacional - semana de 27 de fevereiro a 5 de março:
Os Bombeiros assistiram a 65 doenças súbitas, 18 ocorrências de trauma, 6 acidentes de viação, 3 intoxicações, 1 queda de árvore, 3 apoio às autoridades 1 prevenção a queimada e 1 patrulhamento florestal. Foram transportadas 97 pessoas em socorro.