Editorial RVJornal

Fátima Anjos

2018-11-22

Partilhe:

22 Novembro 2018


O Executivo Municipal de Vizela anunciou na última terça-feira, dia de aprovação da alteração de toponímia que transformará a Rua Nova do Fórum na Av. Manuel da Costa Campelos, que a homenagem irá ainda mais longe, mais além do que o busto que havia sido proposto pelos vereadores do Partido Socialista em setembro deste ano, após o falecimento deste nosso cidadão honorário. Em causa deverá estar o monumento de homenagem ao povo de Vizela que lutou para que a criação deste concelho fosse uma realidade e que o Movimento Vizela Sempre apresentou como sendo uma das bandeiras da campanha eleitoral que o conduziu à vitória em setembro de 2017. Manuel Campelos faz parte deste povo. É hoje o rosto desta luta e, por muitos apelidado, como sendo o pai do concelho de Vizela. Daí que faça todo o sentido que a sua memória seja eternizada neste monumento. Não haverá dúvidas sobre isso, sendo que as atenções deverão estar agora centradas na nobreza que nele deverá estar patente para que este possa dignificar tudo aquilo que ele representa e que é muito. Isto para dizer que não é mais do que uma perda de tempo discutir a “paternidade da ideia”. Porque ela é de todos aqueles que têm capacidade para perceber o que representou para Vizela ter um homem como Manuel Campelos. Ir à luta não é para qualquer um, sabemos isso, mas ir à luta, derrota após derrota, é mesmo para muito poucos. Nem sempre compreendido, nem sempre amado… Isso acontece como todos os grandes líderes. Mas é indiscutível de que o seu contributo foi imenso para aquela que foi a nossa maior felicidade coletiva. E é nisso que temos pensar neste momento… Esta semana, o RVJornal apresenta-lhe ainda uma reportagem sobre o mercado imobiliário em Vizela, sendo de fácil perceção que não está fácil comprar, nem arrendar casa no concelho. Não só porque a oferta é muito pouca mas porque, em sua consequência, temos preços bastante altos para a média dos salários da nossa população, a maioria empregada no setor fabril com salários mínimos ou pouco acima disso. Será, por isso, a altura ideal para captar investimento para o concelho – na medida certa – de forma a que a oferta possa aumentar, proporcionando, inclusive, que residentes em outros concelhos possam fixar-se em Vizela. Espera-se que os processos que estão em curso e que envolvem alterações no Plano Diretor Municipal e no Plano de Pormenor do Poço Quente possam servir de incentivo a quem investe, desde que todos estejamos sempre dispostos a respeitar o território vizelense. Será também uma excelente oportunidade para atrair o capital privado a adquirir e regenerar os prédios devolutos, de forma a abrir novas “portas” para o mercado do arrendamento. Tudo na medida certa. O Município de Vizela deverá ser o anfitrião, quem recebe e guia o investimento tendo em vista a gestão do interesse dos vizelenses. Já ouvimos, por várias vezes, o presidente da Câmara falar em diplomacia municipal e é em matérias como esta que melhor cabe este conceito.