Editorial 28 de dezembro de 2017

Fátima Anjos

2017-12-28

Partilhe:


A quatro dias de darmos como terminado o ano de 2017, é inevitável não pararmos para olhar para trás em jeito de balanço. Não para ficarmos retidos no passado mas, sim, para que possamos seguir em frente.

Em Vizela, o ano de 2017 fica marcado pelas Eleições Autárquicas e pelo seu resultado, despoletado por uma luta interna no seio do PS e que acabou por culminar na eleição de um Movimento Independente - o Movimento Vizela Sempre - que venceu a Câmara Municipal mas também as três Juntas de Freguesia que até outubro eram administradas pelo Partido Socialista. Depois de quatro mandatos no poder, o PS passou em 2017 para a oposição, como terceira força política mais votada. Do ponto de vista político, destaque ainda para o acordo pós-eleitoral assinado pelo Movimento Vizela Sempre e pela Coligação PSD-CDS/PP, com o objetivo de constituir uma maioria no Executivo e que culminou na atribuição de pelouros ao social-democrata Jorge Pedrosa.

2017 teve também como pano de fundo o Rio Vizela. Em defesa da sua despoluição foi discutida uma petição na Assembleia da República e até pudemos contar com a presença em Vizela do Ministro do Ambiente, Matos Fernandes, para a apresentação do Plano de Despoluição do Rio Vizela. Não esquecer ainda o dia ou a noite em que os vizelenses saíram à rua naquele a que apelidaram de Funeral do Rio Vizela, na tentativa de chamar a atenção de todos para os atentados de que este curso natural continua a ser alvo.

Em termos de obras, salientar a conclusão da via paralela à Estrada Nacional 106, muito embora os problemas do congestionamento do trânsito em horas de ponta entre as rotundas dos Rotários e dos Bombeiros continue por resolver. Nota ainda positiva para o dinamismo do associativismo vizelense. A Real Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vizela inaugurou em 2017 as obras da parada e de requalificação do Edifício Museu e a Santa Casa da Misericórdia de Vizela acaba de tornar público o resultado das obras de reestruturação levadas a efeito no Lar Torres Soares. 

Um ano que fica ainda marcado pelo lançamento da primeira pedra das obras de requalificação da Escola Secundária de Vizela. Pena foi, que apenas tivesse sido lançada a primeira. Não esquecer ainda uma outra intervenção que ficou por fazer e que estará relacionada com uma intervenção da Infraestruturas de Portugal na Reta de Sá, em Santa Eulália. Foi em janeiro de 2017 que a menina Joana quase perdeu a vida num atropelamento registado naquela via.

Em 2017, Paulo Félix assumiu o Comando dos Bombeiros e Paulo Ribeiro o Comando da GNR de Vizela. Em 2017, vimos partir muitos rostos que nos eram familiares e alguns amigos. Vizela chorou por Rogério Caldas, Alfredo Ribeiro e Alcides Campelos.

Em 2017, saiu o M1lhão em Vizela, por isso, para 2018 só podemos desejar um milhão de coisas boas para este Município que vai comemorar 20 anos de emancipação administrativa. A Rádio Vizela, que neste ano que agora finda foi distinguida com a Medalha de Mérito Municipal Grau Prata, estará cá para registar todos esses momentos.

Aliás, estaremos ao seu lado. Como sempre!