Editorial 21 de dezembro de 2017

Fátima Anjos

2017-12-21

Partilhe:


Nos últimos tempos, a nossa região não tem sido poupada a más notícias. Nesta quarta-feira voltamos a ser confrontados com a morte de mais um vizelense - o Vitinha Baiona - que perdeu a vida em novo atropelamento mortal.

 

É caso para dizer que termine rápido este ano de 2017 e se dê início a um novo ciclo, esperando que as nossas páginas de jornal sejam preenchidas com notícias que possam traduzir algo de positivo para a nossa terra e para as nossas gentes. Já chega de más notícias. As nossas condolências para a família do Sr. Vítor, vizelense com o qual nos cruzávamos quase diariamente na rua onde estamos sedeados e sempre que vinha levantar um bilhete para assistir aos jogos do seu querido FC Vizela.

 

Mas entre as agruras desta vida devemos tentar sempre agarrar-nos ao que de bom esta nos vai proporcionando. Só assim é possível ultrapassarmos as dificuldades, que se nos vão atravessando no caminho. Isto para dizer que foi com o coração cheio que a equipa da Rádio Vizela saiu no último domingo do Centro Pastoral de S. Miguel. Tudo porque conseguiu ver cumprido o seu papel de mensageira e envolver a sociedade civil numa causa que nos sensibilizou desde a primeira hora. Obrigada a todos os que contribuíram para que aquela família possa, efetivamente, sorrir não só neste Natal mas, também, durante os próximos tempos. Obrigada, de coração. Sabemos que aquela família está muito agradecida e também muito feliz…

 

O Natal chegou assim mais cedo à Rádio Vizela, não tenham dúvidas.

 

Falo da Rádio Vizela, nome de uma instituição algumas vezes citada, felizmente que muito poucas, na tentativa de que possa servir de bode expiatório para alguns, muito poucos também, que teimam em não querer assumir o resultado das suas ações ou falta delas. Mas isso nós nos cabe a nós julgar. Felizmente que a Rádio Vizela é muito mais do que aquilo que se ouve e, principalmente, muito mais do que se ouve dizer. Numa próxima oportunidade que se juntem a nós, em iniciativas como a de domingo ou outras ainda que possam surgir e talvez seja mais fácil perceberem que somos pessoas de bem e que trabalhamos com o propósito de contribuir para que se construa algo de positivo na região que nos acolhe.

 

Mas como dizia, o Natal já chegou e vai ficar entre nós, pelo menos, até segunda-feira. Por isso, sentem-se à mesa e percam a noção das horas. Comam as rabanadas, mas também os mexidos e a aletria. Falem, falem muito… Dêem muito mimo… Brinquem ao Pai Natal… Sejam felizes. A família é um bem precioso. O maior deles todos. E se na mesa já estiverem alguns lugares vazios, lembrem-se que é sinal de que o vosso coração, onde guardamos aqueles que já partiram, está mais cheio.

Feliz Natal! Esta semana, vale um abraço mais apertadinho!