Editorial 17 de maio de 2018

Fátima Anjos

2018-05-17

Partilhe:


1.É triste, mas é verdade. O FC Vizela viu no último domingo cair por terra a aspiração da subida de divisão. É triste, mas só há uma saída. A de levantar a cabeça e seguir em frente e seguir em frente será preparar o caminho para que na próxima época este anseio possa ser uma realidade. Todos sabíamos da dificuldade deste Campeonato e da injustiça que as regras do mesmo sujeitariam os clubes que passariam à fase do play-off. Mas também sabíamos que não havia forma de fugir às regras do jogo. Por isso, o que foi já lá vai. Estou certa que o clube continuará a merecer da sua SAD, dos seus dirigentes e apoiantes a atenção necessária para continuar a crescer e conseguir atingir os seus objetivos.
2. Vamos agora este fim de semana centrar as atenções no CCD de Santa Eulália, que decidirá a sua manutenção no Pró-Nacional da Associação de Futebol de Braga. O clube que está a comemorar 40 anos bem merecia esta prenda de aniversário, pelo crescimento registado nos último anos, sob liderança de Carlos Faria. Vamos ficar a torcer por isso.
2. Entretanto, por Vizela, e na área da política, o destaque desta semana vai para a criação da figura do Provedor do Munícipe que foi chumbada pela segunda vez e foi-o pelo mesmo motivo de há nove anos. 
Na política mais do que discutir propostas, medem-se as forças dos diferentes protagonistas. Como estes vão mudando de posições “neste jogo de xadrez” as coisas ficam difícil de perceber para os cidadãos que acompanham a vida política mais à distância.
Esta foi uma proposta apresentada em 2009 pela Coligação PSD-CDS/PP, sob liderança do vereador Miguel Lopes. Foi chumbada com os votos do PS, inclusive da vereadora Dora Gaspar e do agora Presidente da Câmara, Victor Hugo Salgado. Uma proposta que agora ressuscita e que é apresentada não pela Coligação, mas sim pelo PS, o que só se justifica por eventual cedência de Dora Gaspar a Horácio Vale, o vereador que em 2009 elaborou a proposta apresentada, quando, na altura, integrava o projeto da Coligação. 
Parece confuso? Não, é a realidade. Mas pode parecer ainda mais confuso, se lembrarmos que a proposta apresentada na última terça-feira foi chumbada não só pelo Movimento Vizela Sempre, cujo líder manteve a mesma posição (tal como Horácio Vale), mas também pela Coligação PSD-CDS/PP. Uma força política que agora é liderada por Jorge Pedrosa, que deixa cair a criação da figura do Provedor do Munícipe, em detrimento da implementação do Provedor da Juventude. E o presidente Victor Hugo Salgado já veio dizer que sim, ou seja, que o Provedor da Juventude será uma realidade. Pergunto novamente: Parece confuso? 
Sim, parece.
Penso que a probabilidade desta proposta voltar a ser discutida  dentro de nove anos é bem maior do que a probabilidade de se manterem as posições agora manifestadas.