Editorial 06 de fevereiro de 2020

Fátima Anjos

2020-02-06

Partilhe:


Sara morreu aos 17 anos. Já nada, nem ninguém apagará esta tragédia. Uma jovem com tanto ainda para viver. Mas não viverá mais. Nem a Sara e muito, dificilmente, os seus familiares mais próximos.  É triste, muito triste. E triste também é o facto de que seja preciso uma morte para que se olhe novamente para as condições da Estrada Nacional 106, nomeadamente, para aquele troço. E é também triste que seja sempre assim. O que faz transparecer que uma administração à distância por parte das Infraestruturas de Portugal (IP), no que às estradas nacionais diz respeito, em nada favorece as condições de circulação das comunidades locais.

Por outro lado, também nada interessará, quando se fala em vias de comunicação, uma transferência de competências da Administração Central para os municípios sem que as mesmas sejam acompanhadas do devido pacote financeiro e que teria de ser significativo dado o estado em que muitas delas se encontram.

Ao mesmo tempo, e ainda falando da Estrada Nacional 106, podemos fazer referência ao Lugar de Carreira Chã em Santa Eulália, onde em 2009, perdeu a vida a eulalense Conceição, quando percorria a berma da estrada, sem passeio, e foi colhida por um jipe que se despistou naquele trajeto sinuoso. Seria tempo também da IP olhar com mais atenção para este local.

Também nunca é demais falar na Recta de Sá, também em Santa Eulália, estrada onde já perderam a vida várias pessoas vítimas de atropelamento. E foi precisamente no último mês de janeiro que se completaram três anos desde o dia em que três crianças foram atropeladas naquela via, tendo uma delas, a Joana, ficado em coma induzido durante três semanas.

Das últimas notícias tornadas públicas, a Câmara Municipal de Vizela e a Junta de Freguesia de Santa Eulália aguardam por luz verde da IP para executarem um conjunto de medidas que possam vir a promover melhores condições de segurança na circulação das pessoas. O que não se percebe é como é que estes processos demoram tanto, quando há vidas em risco e a intervenção até estará assegurada financeiramente por outras entidades, nomeadamente o Município e a autarquia local. Do que é que se está à espera? Que as pessoas venham para a rua manifestar o seu descontentamento? Que as televisões apareçam em Santa Eulália? Ou que haja mais uma morte? É triste, continua a ser triste.

Ainda esta semana destacar a reeleição de Dora Gaspar na liderança da Comissão Política do Partido Socialista de Vizela.  Terminado que está o ato eleitoral, e tendo a maioria dos votantes reconduzido a socialista no cargo, terá agora Dora Gaspar a missão de unificar o partido para as próximas batalhas eleitorais.


Um bom fim de semana para todos vocês!