Editorial 03 de janeiro de 2019

Fátima Anjos

2019-01-03

Partilhe:


80 anos não é para qualquer um. Pois não! Mas é uma realidade no FC Vizela que no primeiro dia do ano assinalou a passagem de mais um aniversário e como o “número redondo” assim o exigiria, fê-lo com distinção, contando para o efeito, com a colaboração da Câmara Municipal de Vizela.

80 anos depois, o FC Vizela é uma instituição que orgulha a cidade. Não só porque leva longe o nome de Vizela mas, principalmente, pelo projeto de formação de jovens desportistas que vem desenvolvendo ao longo dos anos, agora mais recentemente alargado a novas modalidades, recuperando também parte da sua história.

É, por isso, que independentemente, da subida ou não de divisão da equipa senior , o FC Vizela será sempre o FC Vizela e as suas conquistas devem-se em muito a um punhado alargado de vizelenses que, pelo amor ao clube, tem não só aguentado o barco, lutando contra ventos e marés, mas também feito um esforço muito grande no sentido de o conduzir a bom porto.
Não deve ser nada fácil. Mas também não será possível recuar. Há já uma estrutura muito grande para manter de forma a garantir que as expetativas dos nossos jovens não saiam goradas. Sabemos que nem todos nasceram para ser o segundo Cristiano Ronaldo português, mas o importante é que lhes possam ser garantidas boas condições para a prática desportiva. Assim será muito mais fácil manterem o vínculo com o clube, mantendo também o “Desporto” nas suas vidas. E como dizia o presidente Eduardo Guimarães, no último Jantar de Natal, aproveitar em esta oportunidade para se tornarem não só bons atletas mas, também, bons seres humanos.

Longe já parecem ir os tempos em que a administração pública subsidiava os apetitosos cachés das equipas seniores em detrimento de um investimento que deveria ser protagonizado na formação. Em Vizela foi um dos dossiers mais debatidos na campanha eleitoral para as Autárquicas de 2009, na altura, por uma coligação, liderada por Miguel Lopes, e uma candidatura do PS acabada de assumir por Dinis Costa. Sabemos que acabou por haver uma alteração do paradigma em relação à comparticipação dos clubes de futebol e isso aconteceu um pouco por todo o país. E ainda bem. Não, porque uma instituição como o FC Vizela não precise ou mereça o apoio da sua Câmara Municipal. Não, muito pelo contrário e é dever de um Município promover o Desporto local. O que é preciso é que haja uma gestão cuidada do dinheiro público e também alguma equidade entre todos os clubes. O atual Executivo diz que está a fazer esse trabalho.
Assim esperamos, porque nem só de futebol vive o Homem!

Parabéns FC Vizela!