Editorial 02 de maio de 2019

Fátima Anjos

2019-05-02

Partilhe:


Não poderia deixar de iniciar o Editorial desta semana com as merecidas felicitações a toda a estrutura do FC Vizela, cujo plantel sénior conseguiu no último domingo, carimbar a sua presença no Play Off, garantindo ainda o primeiro lugar da Série A do Campeonato de Portugal. Nova etapa se avizinha e a maioria saberá o quão dura ou injusta esta poderá vir a tornar-se, já passamos por ela no passado, mas a verdade é que partiremos com a esperança de sempre, de vermos o FC Vizela na divisão que faz justiça ao seu percurso.

Isto porque Vizela é uma Terra de Campeões. Prova disso mesmo é o rescaldo da Gala do Desporto que a Câmara Municipal de Vizela levou a efeito na última sexta-feira, dia 26, e que poderá também conferir na edição desta semana do RVJornal. Campeões do futebol e de futsal mas, também, de desportos de combate ou de mergulho… Temos também o atletismo, o minigolfe, a equitação, a atividade motard, os desportos adaptados…  Todas estas modalidades com atletas sobejamente reconhecidos pelas suas conquistas. Mas em Vizela há mais, muito mais, desde o BTT ao Ténis de Mesa, desde as Damas aos Matraquilhos. Temos também Campeões de Bilhar e de vários Desportos Motorizados.
Vizela é mesmo uma Terra de Campeões. Já merecia ser uma “Cidade Desportiva”.

Campeões também na música. Foi com um orgulho imenso que pude assistir ao concerto de Pedro Abrunhosa com a Banda de Música da Sociedade Filarmónica Vizelense. Quando no final o maestro José Manuel Marques, que tem o mérito de agarrar desafios como este e torná-los uma realidade, dizia que a Banda de Vizela está hoje preparada para projetos como este e muitos mais, tenho a dizer que não existam qualquer tipo de dúvidas sobre isso.
E será este tipo de trabalho que garantirá o futuro da Banda, porque torna-se apelativa à entrada de novos músicos, que podem agora aspirar pisar novos palcos e interpretar muito mais do que o estilo de música que durante muitos anos esteve “colado” às Filarmónicas.

Um concerto que teve como mote celebrar 45 anos de democracia em Portugal. Neste 25 de abril, Vizela acordou com a realização de mais uma sessão solene promovida pela Câmara e Assembleia Municipal. A destacar os discursos de Fernando Carvalho e Jorge Oliveira alertando para os sinais que nos chegam, nomeadamente da Europa, para os riscos em que podem incorrer os sistemas democráticos tidos durante as últimas décadas como certos para sempre. E a verdade é que os sinais não param de chegar e exemplo disso mesmo foi o resultado eleitoral do último domingo em Espanha. Temos de estar atentos porque, muitas das vezes, a barreira que divide o populismo do fascismo é muito ténue.
Até para a semana.