COVID 19 - efeitos colaterais

Jorge Oliveira

2020-03-26

Partilhe:


O ano de 2020 ficará certamente registado para o todo o sempre na memória colectiva da humanidade.

Estamos a ser assolados por uma pandemia que alterou de forma radical a vivência humana. Pedem-nos que, com urgência, alteremos comportamentos, desde o evitamento social, passando pela higienização mais frequente das superfícies de elevado contacto, aprimoramento da desinfeção das mãos e cumprimento da “etiqueta respiratória”.

O impacto na sociedade tem sido tremendo, alterando dinâmicas que tínhamos como adquiridas.
 
Agora está na “moda” elogiar os profissionais de saúde e catalogá-los como heróis.
Permitam-me fazer algumas referências relativamente a isso, com base na minha realidade diária. O elogio a “profissionais de saúde” é curto!

Para uma Instituição de Saúde trabalhar existem inúmeros outros profissionais que fazem chegar a comida à mesa dos utentes, que tratam da roupa para que o seu conforto seja mantido, assim como outros higienizam os espaços, para que o ambiente saudável se mantenha. Esta ideia do TODO é fundamental para que o bem-estar dos utentes seja uma constante. É também essencial, para que as ausências forçadas dos familiares sejam colmatadas com a melhor saúde mental possível. Desta forma, não pretendo de todo, minorar a importância dos profissionais de saúde, mas sim, elevar o elogio a todos os merecedores dele.  O elogio a “profissionais de saúde” não deve ser uma moda! Estes HOMENS e MULHERES (pais e mães, filhos e filhas e alguns deles avós) têm como objetivo maior, desde sempre, o cuidado aos utentes, independentemente de COVID ou não! Estes mesmos homens e mulheres assumiram para si uma missão maior. E acreditem, muitas vezes, mesmo dando TUDO, mesmo estando disponíveis SEMPRE, são julgados de forma cruel/ muitas vezes injusta. Os riscos inerentes à profissão são diários e conhecidos por todos, no entanto, diariamente vestem a sua farda e o seu melhor sorriso e seguem em frente.

Além de estarem disponíveis desde 2011, de forma ininterrupta, estes profissionais foram mais uma vez colocados à prova! A necessidade de implementar medidas de prevenção para fazer face a um eventual episódio de contágio que obrigue a quarentenas de profissionais, levou a implementar um plano de contingência na organização de horários.

Todas estas mudanças acarretam um esforço extra em prol dos utentes. E mais uma vez os profissionais responderam prontamente com um SIM.

Mas não falamos de super-heróis, falamos de pessoas, de carne e osso, em que muitos têm filhos em casa para cuidar e mesmo assim não olham para trás na persecução do bem-estar do maior grupo populacional em risco, os idosos.

Uma VÉNIA a estes seres humanos inexcedíveis!