Contradições, incoerências e facadas Tudo pelo poder...

Luís Almeida

2017-06-08

Partilhe:


Nas últimas semanas, Vizela tem assistido a um verdadeiro filme de contradições, incoerências e facadas nas costas. E tudo pelo poder na – e pela – Câmara Municipal de Vizela. Os Vizelenses, tal como eu, não conseguem perceber a enorme quantidade de contradições que surgem com a candidatura à Câmara Municipal de João Ilídio Costa pelo Partido Socialista de Vizela?
Alguém consegue perceber por que razão, no decorrer do ano 2013, Dinis Costa acordou com várias pessoas que o próximo candidato a Câmara Municipal de Vizela pelo Partido Socialista era o Victor Hugo Salgado e, depois das eleições, Dinis Costa fez de tudo para afastar Victor Hugo Salgado do Partido Socialista e da Câmara Municipal, apresentando como candidato do Partido Socialista João Ilídio Costa?
Alguém consegue perceber por que razão João Ilídio Costa, apoiante e impulsionador da atual candidatura independente de Victor Hugo Salgado, quando confrontado com a possibilidade de ser candidato do Partido Socialista de Vizela, dá o dito pelo não dito, retira o apoio a Victor Hugo Salgado e aceita ser candidato contra este?
Alguém consegue perceber por que razão, no dia 21 de fevereiro de 2013, João Ilídio Costa, numa entrevista à Rádio Vizela, critica, de forma exaustiva, Dinis Costa, afirmando “Se ele (Dinis Costa), for inteligente, afasta-se para o seu bem pessoal e de Vizela”, e, agora, volvidos 4 anos, se junta a este numa candidatura à Câmara Municipal?
Alguém consegue perceber por que razão, no dia 1 de Agosto de 2009, João Ilídio Costa tenha escrito no DDV que a “ingenuidade do Sr. Alcides Campelos e os muitos interesses encobertos levou a que este tenha perdido da sua própria identidade em qualquer esquina onde passou e passa e, curioso, nem essa mesma esquina já o reconhece como tal; infelizmente, não é referência para ninguém e o que possa dizer acaba por funcionar como elemento de arremesso e de pura chacota para o próprio”, e, agora, Alcides Campelos seja um dos maiores apoiantes da candidatura de João Ilídio Costa à Câmara Municipal?
Alguém consegue perceber por que razão, em dezembro de 2009, João Ilídio Costa saiu da Assembleia Municipal de Vizela em ruptura com o então Presidente da Câmara, Dinis Costa, depois de lhe ter dito, em plena Assembleia “Você (Dinis Costa) não presta, não estou no seu lugar porque não quero...”, e, agora, passados 8 anos, se junta a este numa candidatura à Câmara Municipal? Alguém consegue perceber por que razão, no dia 19 de dezembro de 2009, João Ilídio Costa tenha dito na Rádio Vizela que, contrariamente ao que aconteceu com anterior presidente da Direção dos Bombeiros Voluntários de Vizela, o Dr. António Pacheco, “consigo a política ficará sempre à porta do quartel”, e, agora, tenha presidido às comemorações do 140 anos dos Bombeiros já como candidato à Câmara Municipal pelo Partido Socialista?
Alguém consegue perceber por que razão João Ilídio Costa suspendeu o mandato na Direção dos Bombeiros Voluntários de Vizela para ser candidato à Câmara Municipal, mas se perder volta para a Direção dos Bombeiros, deixando os Bombeiros em gestão até à decisão das eleições autárquicas?
Alguém consegue perceber por que razão, no dia 7 de outubro de 2009, João Ilídio Costa participou no jantar da Coligação Vizela PSD-CDS/PP de apoio a Miguel Lopes Guimarães, afirmando no seu discurso que iria votar na Coligação e que o Partido Socialista não soube dar a Vizela o que Vizela precisava, e, agora, aceita ser o candidato à Câmara Municipal pelo Partido Socialista? Os Vizelenses não conseguem perceber estas contradições, mas estou certo que, apesar de não as perceberem, não as esquecerão e que, na altura certa, as saberão julgar.