Utentes da AIREV são “Asas do Palco”

Comunidade pode fazer parte do Grupo de Teatro da AIREV.

“Asas do Palco” é o nome do Grupo de Teatro que nasceu dentro da Associação para a Integração e Reabilitação Social de Crianças e Jovens Deficientes de Vizela (AIREV). Rafaela Oliveira, psicóloga da instituição, foi uma das impulsionadoras do grupo juntamente com uma colega terapeuta, que também trabalha na AIREV.

Nasceu dentro da AIREV, mas quer ganhar asas e ser reconhecido como um grupo de teatro a sério e não como o grupo de teatro da AIREV. A ideia é “ir para locais onde sejamos reconhecidos como um grupo de teatro, é levar o nome do grupo e não da AIREV”, afirmou Rafaela Oliveira.

“Asas do Palco” - nome escolhido pelos utentes – foi criado em 2015 e, explicou a psicóloga, “teve o seu grande motor de arranque em 2016”. “Este projeto iniciou com uma vontade minha e de uma colega que é terapeuta aqui na instituição, porque achámos que havia utentes que tinham muita vontade de mostrar, que tinham ali uma veia artística, que se deveria deitar cá para fora”.

A partir daí, explicou, começaram “a construir quase que um leque de atividades com alguns utentes e fomos percebendo se havia aqui algum tipo de vontade - e até mesmo criatividade - por parte dos utentes para poderem entrar no grupo”. Assim, “de um momento para o outro”, foi formado o grupo de teatro da AIREV.

“Asas do Palco” é composto por 12 utentes, juntamente com as duas impulsionadoras do projeto, as mesmas que também os ensaiam. No entanto, o grupo quer reunir mais elementos, quer de colaboradores da instituição, quer da sociedade civil. As portas estão abertas: “Nós já lançámos o convite a colaboradores e à comunidade, através do nosso facebook. A ideia era que tivéssemos ainda mais gente a participar no grupo, que fosse algo ainda mais forte. Alguns colaboradores aceitaram esse convite e vão começar a participar ainda este mês neste grupo e esperamos que também a comunidade nos ajude um bocadinho”.

 

Grupo de teatro está recetivo a receber elementos da comunidade

 

Nesta altura, os ensaios do grupo têm lugar às segundas-feiras à tarde, contudo, explicou Rafaela Oliveira, o objetivo é “fazer pelo menos mais um ensaio por semana e num horário mais ajustado para que as pessoas de fora [da instituição] possam participar. Se calhar ao final da tarde ou à noite. Ainda não pensamos muito bem, depende também das inscrições que tivermos”.

O grupo está a trabalhar numa peça cujo tema está relacionado com a deficiência: “A ideia é explorar com os nossos utentes e tentar sensibilizar a comunidade para aquilo que é ter deficiência na nossa sociedade. Estamos a ter aqui umas agradáveis surpresas, acho que vamos surpreender o público”.

Segundo Rafaela Oliveira, a intenção é apresentar a peça à comunidade vizelense no dia 03 de dezembro, no Dia Mundial da Deficiência.

 

Para conferir na íntegra no RVJornal, já nas bancas