Recomeça tudo: Carlota quer voltar à Tailândia

Olhando à evolução positiva da criança, família decidiu encarar mais um desafio.

Será um terceiro recomeço de todo o processo duro, de conseguir angariar 43.500 euros. A Carlota, pequena de Vila Nova de Sande, atualmente com seis anos, precisa regressar à Tailândia para cumprir mais uma fase do tratamento que até agora já a fez recuperar alguma qualidade de vida.

Tenho a agradecer a todos os que rezam pela minha filha

Sónia Silva, em declarações à Rádio Vizela, relança o apelo: “Em 2018 fomos aconselhados a voltar dois anos depois, pela equipa médica que acompanhou a Carlota na Tailândia. Vamos voltar ao difícil processo de angariação de fundos”.

A paralisia cerebral da Carlota, fruto de um AVC que sofreu ainda durante a gestação, reflete-se numa condição neurológica que impede o movimento de parte do corpo, condicionando ainda alguma da sua mobilidade. Carlota sofreu um AVC intrauterino que não foi detetado à nascença, deixando-a com uma hemiparesia que paralisou mais o lado direito, embora o lado esquerdo também tenha sequelas.

Desde que voltou dos dois anteriores tratamentos que efetuou na Tailândia, graças à onda solidária que se gerou em torno da pequena, a Carlota tem dado provas de que vale a pena sonhar.

Neste momento a conta está a zero. São precisos 35 mil euros para a viagem à Tailândia, mais 8.500 euros para o tratamento intensivo numa clínica em Braga que a Carlota terá que ser submetida no regresso.

Atualmente a Carlota frequenta a primeira classe, demonstra uma boa aprendizagem e já escreve o seu nome, mas através de um computador adaptado a si, uma vez que tem dificuldade em mexer a mão direita.

Continua a ser uma inspiração para a família que, por isso, decidiu entrar de novo na luta, mesmo sabendo que correm o risco de encarar algumas dificuldades na recolha de donativos. Sónia Silva apela à ajuda de todos e deixa palavras de agradecimento aos que não se esquecem da Carlota: “Quero agradecer por estarem sempre a ajudar-nos, pelas palavras de força e carinho que nos fazem tão bem. Tenho a agradecer a todos os que rezam pela minha filha. Ela hoje está assim graças a todos”.

A Carlota, pequena de Vila Nova de Sande, atualmente com seis anos, precisa regressar à Tailândia para cumprir mais uma fase do tratamento que até agora já a fez recuperar alguma qualidade de vida.

Até junho a família precisa de angariar 43.500 mil euros. Nos próximos dias estarão em à venda cadernetas de rifas.