PSD quer “puxar” pelas causas comuns para afirmar distrito

Cabeça de lista do PSD, pelo distrito de Braga, André Coelho Lima, esteve em Vizela.

André Coelho Lima, cabeça de lista do PSD pelo distrito de Braga, às Eleições Legislativas de outubro, esteve hoje em Vizela para a apresentação da candidatura de Cidália Faria, que ocupa a 9ª posição da lista do distrito.

Nesta apresentação, realizada na Biblioteca Municipal, coube a Jorge Pedrosa, presidente da Concelhia de Vizela do PSD, abrir os discursos. Para além de vincar as capacidades de trabalho dos candidatos, Jorge Pedrosa transmitiu que André Coelho Lima “pode contar com Vizela e com esta Secção do PSD”, que tudo fará para que possa “ter um dos melhores resultados de sempre no concelho de Vizela”.

Cidália Faria, a candidata de Vizela da lista do distrito de Braga do PSD, destacou duas áreas do programa eleitoral do partido: o ambiente e a natalidade. No ambiente, centrou as atenções na despoluição do Rio Vizela, lembrando, por isso, que o PSD apresenta no seu programa eleitoral a despoluição da bacia hidrográfica do Ave. Quanto à natalidade, apontou duas medidas: “a universalização das creches e dos jardins de infância, dos seis meses aos cinco anos, na rede pública e social; e segundo um programa de incentivos ao estabelecimento de creches e jardins de infância por parte das autarquias, das IPSS’s e das empresas”.

Proximidade e afirmação são os pilares da candidatura liderada por André Coelho Lima. O candidato referiu que o PSD é o único partido que integra na sua lista apenas pessoas do distrito e, neste âmbito, não deixou de apontar o dedo à lista de Braga do PS: “A importância que o PSD dá ao concelho de Vizela, comparativamente com aquilo que dá o PS, porque o PSD tem uma representante do concelho de Vizela no 9º lugar, o PS tem no 14º lugar. Portanto, os vizelenses têm que perceber que a única forma de poderem ter um representante na Assembleia da República é votarem na lista do PSD, porque votando na lista no PS não há hipótese nenhuma de poder ser eleito um representante na Assembleia da República e também isto é um sinónimo de proximidade”.

Quanto à afirmação do distrito, André Coelho Lima explicou que é preciso “trazer ao de cima aquilo que une” o distrito. “Começarmos a ser capazes de pensar em causas comuns, ter plataformas institucionais – formais ou informais – que sejam comuns para agarrarmos as causas de todos nós e podermos nos afirmar no todo nacional”, referiu o candidato.

 

Mais pormenores na próxima edição do RVJornal