Jorge Braz revalida prémio de melhor selecionador do mundo

Antigo treinador adjunto do Desportivo Jorge Antunes volta a ser considerado o melhor do Mundo

Jorge Braz revalidou prémio de melhor selecionador do mundo pelo Futsal Planet, à frente de Marquinhos. Recorde-se que o técnico nacional esteve em Vizela entre as temporadas de 2004/05 e 2006/07, ao serviço do Desportivo Jorge Antunes, como treinador adjunto de Paulo Tavares, na 1ª Divisão Nacional de Futsal, tendo depois saltado para adjunto do selecionador nacional.

Depois do prémio conquistado no ano passado, ainda com a histórica conquista do Campeonato da Europa de futsal por Portugal bem “fresca”, Jorge Braz revalidou o troféu de melhor selecionador do mundo do Futsal Planet, numa votação referente ao ano de 2019 e que foi dada a conhecer esta quinta-feira pelo portal.

O treinador da Seleção Nacional, que garantiu entretanto a qualificação para o Mundial de 2020, terminou com um total de 766 pontos, à frente do brasileiro Marquinhos (565) e do russo Sergey Skorovich (408). A nível de seleções, Portugal acabou em segundo com 651 pontos, atrás do Brasil (819) e à frente da Espanha (649).

Na classificação dos melhores treinadores de clubes, ganha por Andreu Plaza Alvarez do Barcelona (689 pontos), Portugal está representado por dois técnicos no top 5: Nuno Dias, campeão europeu pelo Sporting em 2019, terminou no segundo lugar com 602 pontos, ao passo que Joel Rocha, campeão nacional pelo Benfica em 2019, acabou no quarto posto com 389 pontos.

A nível de melhores equipas do mundo, o Sporting terminou na segunda posição com 773 pontos, atrás dos espanhóis do Barcelona (918 pontos) e à frente dos brasileiros do Carlos Barbosa (429 pontos).

Mas houve mais algumas distinções em termos individuais para jogadores nacionais, no setor masculino e feminino.

Ana Catarina, do Benfica, foi eleita a segunda melhor guarda-redes do mundo (664 pontos), atrás da espanhola Silvia Aguete (Poio Pescamar, 719); Fifó, jogadora do Benfica, foi considerada a terceira melhor jogadora do mundo com 575 pontos, numa classificação que teve a brasileira Amandinha (Leoas da Serra, 789) e a espanhola Anita Luján (At. Madrid Navalcarnero, 623) nos primeiros lugares. Numa lista que quebrou o registo de triunfos consecutivos de Ricardinho e que não teve qualquer português entre os primeiros dez da classificação, Ferrão, brasileiro do Barcelona, foi considerado o melhor jogador do mundo (958 pontos).