Grupo de Jovens revoltado com críticas à campanha solidária

O Grupo de Jovens de Infias veio a público lamentar a existência de comentários menos agradáveis.

Recorde-se que o objetivo é angariar fundos para ajudar a família da infiense de 31 anos a adquirir uma cadeira de rodas que tem um custo de 6500 euros + IVA e que será essencial para aumentar o seu bem-estar.

Em comunicado, o Grupo de Jovens faz questão de esclarecer que foi ele que teve a iniciativa de procurar a família de Ângela Pereira, tendo depois se disponibilizado a ajudar. “Lamentamos as críticas de algumas pessoas, que dizem que a família tem posses e não necessita da nossa ajuda. Para nós, a principal família é, neste caso, os pais que conhecemos como boas pessoas, simples e humildes. Não nos interessa se a restante família é rica ou pobre, pois não andamos a investigar a conta bancária de ninguém, além de que esta não tem por obrigação de contribuir com 7 mil euros”, salienta o Grupo, garantindo, no entanto, que a família também já mostrou a sua disponibilidade para colaborar.

O Grupo de Jovens de Infias lembra que já realizou várias ações solidárias para apoiar casos semelhantes ao da Ângela e que tendo conhecimento da situação da infiense, uma pessoa da terra, não poderia ficar indiferente. Daí que se sinta “revoltado e muito incomodado com toda esta situação”, lamentando que existam “pessoas que criticam o trabalho de um Grupo de Jovens que muito tem feito tanto pela comunidade de Infias como por toda a região”. “O concerto que realizamos no domingo passado, tinha como objetivo inicial a angariação de fundos para comprarmos uma carrinha, que muito estamos a precisar, mas decidimos aproveitar esse concerto para a causa da Ângela Pereira”, acrescenta.

Já a terminar, o Grupo de Jovens agradece a todos quantos têm estado ao seu lado, salientando que não obrigam ninguém a contribuir: “Não estamos a chatear ninguém porta-a-porta. Só dá quem quer. Mas não vamos desanimar, nem baixar os braços. Deixem-nos trabalhar. Apoiem estes jovens. Não os critiquem”, remata.