Ciclovia municipal com passagem na Rua Dr. Abílio Torres

Da Ordem de Trabalhos da última reunião constava a aprovação do projeto do PAMUS.

Em causa está o Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável) para o centro da cidade de Vizela e do qual se inclui a criação de uma ciclovia com passagem na Rua Dr. Abílio Torres.

Situação que preocupa o vereador Horácio Vale. “A proposta fala em reformulação de espaços de estacionamento e das passadeiras, o alargamento dos passeios e da criação de uma via ciclável. Não sei como será possível fazer tudo isto naquele local. Espero que não se repitam os mesmos erros do passado”, disse o vereador do PS. Se em outubro deste ano ouviu ser levantada a possibilidade de devolver os dois sentidos à Rua Dr. Abílio Torres, o político considera que esta proposta vem “anular” a possibilidade abordada, naquela altura, pelo presidente da Câmara Municipal de Vizela (CMV)

Não será bem assim. Foi o que afirmou Victor Hugo Salgado. Segundo o edil, a autarquia mantém conversações com uma empresa responsável pela realização de estudos sobre trânsito em cidades como o Porto e Lisboa. Se em Vizela avançar para o terreno um estudo que aponte soluções para a circulação automóvel, o autarca diz que o projeto em apreço e aprovado esta terça-feira poderá ser sujeito às alterações entendidas como necessárias. “Um projeto provisório, a prazo, que pode ser desfeito daqui a alguns meses? Era bom que o Executivo tivesse, de uma vez por todas, ideias claras e precisas sobre aquilo que pretende implementar na nossa cidade”, reagiu, no final da sessão, o vereador Horácio Vale. Entretanto, o presidente garantiu que é agora objetivo da CMV uma “ciclovia em definitivo com cabeça, troco e membros” e que venha a constituir uma mais-valia para o concelho”. Ligará Infias, desde a Escola EB2,3/S, à Marginal Ribeirinha. “Além da introdução da ciclovia, criaremos todas as condições no centro urbano para que sejam construídas passadeiras mais adaptadas aos nossos dias. Há também a preocupação de criar melhores condições para a circulação nos passeios, criando uma mais-valia do ponto de vista da mobilidade urbana, sobretudo na vertente a pé”, acrescentou, no final, o edil vizelense

Desta feita, o projeto do PAMUS acabou aprovado, com a abstenção do PS. Ainda antes da votação, Fátima Andrade havia chamado a atenção para a importância da mobilidade para o futuro das cidades, bem como para a correção dos erros que continuam a dificultar a vida daqueles que padecem de mobilidade mais reduzida.