“Antagónico (Sur)real” é a nova exposição de Arnaldo Macedo

Foi inaugurada no passado sábado, dia 13, a exposição “Antagónico (Sur)real”.

Composta por 15 quadros e nove desenhos, “Antagónico (Sur)real” segue, como o próprio nome indica, o traço surrealista que todos reconhecem na pintura de Arnaldo Macedo. “Os quadros são todos pintados com as telas do avesso, desta vez resolvi pôr os quadros invertidos, pintar nas costas da tela e acho que ficou um efeito engraçado. A minha intenção era - e acho que consegui - ver-se mais o interior do que o exterior das pessoas, era a mensagem que queria deixar”, explicou-nos o pintor. Já os desenhos tiveram um processo diferente e vêm acompanhar os textos que o vizelense escreve com Fátima Encarnado, sua amiga de Lisboa: “Os desenhos representam os textos que a gente escreve, estilo “cadáver esquisito” que os antigos surrealistas faziam. Então ela escreve uma frase, eu escrevo outra e surge assim um texto muito completo”.

A exposição abriu ao público na noite do passado sábado, dia 13, mas quem não soubesse que se tratava de uma mostra de Arnaldo Macedo, facilmente reconhecia nos trabalhos o estilo do pintor vizelense, cuja imagem de marca é a maçã: “É muito fácil de identificar, vê-se logo que são meus, a minha marca tem a maçã, acho que é fácil identificar os meus trabalhos, já toda a gente os conhece. Nem é preciso pôr lá a minha assinatura, já sabem que é meu esse trabalho”.

Adriana Henriques é a curadora desta mostra que poderá ser visitada até 28 de fevereiro, na Fundação Narciso Ferreira, em Riba de Ave.