Alteração da ciclovia prevê ligação à Marginal Ribeirinha

A ciclovia escolar continua na ordem do dia.

O projeto executado será alterado e Fátima Andrade desafiou o presidente da CMV a apresentá-lo o mais brevemente possível de forma a abrandar as críticas em torno do mesmo, até por respeito aos promotores da ideia que nasceu no Orçamento Participativo Jovem 2017. Ao mesmo tempo, a vereadora da Coligação alertou o Executivo para a necessidade de colocação de sinalética que não permita a sua utilização, de forma a evitar que possam ocorrer acidentes.

“O projeto foi completamente reestruturado e será apresentado o mais brevemente possível”, respondeu Victor Hugo Salgado, adiantando que a sua execução vai integrar o Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável (PAMU) e irá prever a ligação da ciclovia à Marginal Ribeirinha. Por outro lado, referiu que, enquanto “o projeto não estiver estabilizado”, não poderá ser apresentado publicamente. O que é que está em causa? O novo projeto prevê a passagem da ciclovia em terrenos do domínio privado e o autarca disse que o mesmo só poderá ser apresentado quando a CMV dispuser do aval de todos os proprietários envolvidos no processo.

Já no final, Victor Hugo Salgado disse que as suas previsões apontam para que este processo esteja concluído dentro de dois a três meses, assegurando que será, entretanto, colocada sinalização para proibir a circulação na ciclovia criada na via paralela à EN 106. “Não podemos proceder, no imediato, a um processo de remoção, porque isso terá um custo adicional, porque esse trabalho será feito pela empresa que fará a obra [em falta], além que o projeto que vamos apresentar representará alteração nas vias”, acrescentou o presidente, justificando a paragem da atual obra com a falta de parecer da GNR e aqui voltou a apontar o dedo ao PS.

E o PS ripostou. “Esta questão da ciclovia é uma pequena novela, em que o Executivo não quer dar mão à palmatória e vai-se refugiando sempre em novos argumentos. O que hoje se veio a verificar é que a Ciclovia hoje anunciada já estava prevista pelo PS na candidatura realizada em 2016 no âmbito do PAMU e com financiamento garantido, quando o que estamos a falar é de um projeto, o Orçamento Participativo Jovem, fundido de dois projetos candidatados e que é uma ciclovia escolar”, afirmou Dora Gaspar, em declarações à Rádio Vizela.