Carlos Cunha: “Valemos muito mais do que diz a tabela”

Novo treinador do FC Vizela pede apoio de todos neste projeto

Carlos Cunha, que orientava o S. Martinho, clube que milita na Série B da Fase de Manutenção do Campeonato de Portugal.

Carlos Cunha tem 45 anos de idade, é natural de Ponte de Lima, e ao serviço do FC Vizela faz a sua estreia nos campeonatos profissionais. O treinador, nas suas primeiras declarações públicas após o jogo com o Covilhã, fez questão de agradecer ao seu antigo clube “pela forma como o libertou e permitiu que desse mais um passo importante na carreira”. Apesar de ser um treinador desconhecido para a maioria dos adeptos do clube, Carlos Cunha salientou que se está cá é porque a administração da SAD entendeu que o treinador tem “competências e capacidades para o lugar”. 

Carlos Cunha já passou por clubes como o Limianos, Ribeirão, Vilaverdense e S. Martinho e atinge agora um novo patamar na sua carreira como treinador de futebol.

É o terceiro treinador esta época para o FC Vizela e acredita que apesar das dificuldades tem “muitas soluções que agora necessita de gerir”. Admite que “terá que devolver a confiança aos jogadores”, que “têm qualidade para sair desta situação na tabela classificativa”.

Carlos Cunha salientou que a II Liga é a “competição mais exigente em Portugal” devido à realização de muitos jogos.

Para domingo está já marcado o jogo com o Porto B e o treinador entende que o mais importante é manter a boa condição física dos atletas, com três jogos, no espaço de poucos dias. A pretensão em Pedroso será a de “lutar pelos três pontos, apesar de defrontarmos um grande adversário”, referiu o treinador.

Faltam onze jogos para o final do campeonato e o discurso do treinador é de otimismo, “o grande objetivo do grupo de trabalho é encarar cada jogo com a oportunidade de somar pontos, por isso cada jogo será uma batalha”. No entanto, para que tal aconteça, o treinador pede empenho e trabalho de todos. Não só aos jogadores, mas essencialmente de todos os associados e adeptos. “Precisamos da ajuda de todos e queremos que todos estejam connosco para que possamos continuar a disputar os campeonatos profissionais”.